tipos de inteligência artificial tipos de inteligência artificial

Quais são os principais tipos de inteligência artificial?

Por Thamara Araujo

21 dezembro 2020 - 15:13 | Atualizado em 21 dezembro 2020 - 16:24

Como consequência da transformação digital, uma das tendências emergentes é o uso da inteligência artificial. De acordo com o relatório 5 principais tecnologias emergentes e seu impacto na experiência do cliente, do Gartner, até 2022, 70% das interações com os clientes terão envolvimento de tecnologias emergentes, como aplicativos com machine learning e chatbots com inteligência artificial. Mas você sabe quais tipos de inteligência artificial?

Ainda segundo este relatório, 26% dos CIOs apostam em chatbots como o principal aplicativo baseado em IA usado em suas empresas. Já que o objetivo da inteligência artificial é desenvolver máquinas que reproduzam as habilidades humanas, a tendência é que o atendimento seja cada vez mais automatizado. 

Neste post, vamos explicar o que é inteligência artificial, quais são os principais tipos e como elas são utilizadas nos chatbots e outras aplicações. Quer conhecer mais sobre o assunto? Acompanhe o artigo.

O que é Inteligência Artificial

Inteligência artificial é a capacidade de máquinas pensarem como seres humanos: aprender, perceber e decidir quais caminhos seguir, de forma racional, diante de determinadas situações.

A inteligência artificial se baseia na seguinte fórmula: somando big data com computação em nuvem e bons modelos de dados, o resultado são máquinas mais inteligentes.

Mas você sabia que há várias classificações de IA e várias diferenças entre elas? Vejamos abaixo.

Tipos de inteligência artificial

Inteligência Artificial Limita (ANI)

Chamada ainda como “IA fraca”, são inteligências com um único objetivo:  armazenam grande volume de dados e realizam tarefas complexas, de acordo com a programação. Esta classe de inteligência artificial consegue fazer cálculos complexos com muita rapidez, mas não vai além disso.

Nesta classificação, há ainda duas subcategorias:

  • Máquinas reativas: estas não dispõem de tantos recursos. Não armazenam muitos dados e reagem apenas a alguns estímulos, segundo sua forma de configuração;

  • Memória limitada: mais avançadas, estas armazenam mais dados e os usam para tomar decisões. Esta IA armazena os dados, baseada nas escolhas anteriores do usuário, e passa a oferecer conteúdos similares.

Inteligência artificial geral (AGI)

Este tipo de inteligência artificial é a “IA forte” ou “nível humano”, porque é capaz de resolver tarefas semelhantes às realizadas pelos seres humanos. Ela aprende por meio de técnicas de machine learning, por exemplo, além de compreender e reagir a estímulos específicos. 

Além disso, esse modelo pode ser aplicado a tarefas que não são executadas pela ANI, porém ainda não está no nível da inteligência humana.

Nesta categoria há duas subdivisões:

  • Máquinas cientes: enxergam o mundo e são capazes de compreender os estímulos recebidos para processar as informações;
  • Máquinas autoconscientes: estas têm consciência de si mesmas e do mundo ao seu redor, facilitando a compreensão dos estímulos externos. Reage da mesma forma que um ser humano. 

Superinteligência (ASI)

Dentre todas, a superinteligência é uma incógnita para o futuro e ainda está em estudo. No entanto, imagina-se que ela será superior à inteligência humana, capaz de tomar decisões e também armazenar dados. 

Além disso, os cientistas pensam que esta superinteligência será muito mais abrangente. Ela poderá ser um pouco superior à mente humana e até muito mais inteligente, executando tarefas impossíveis às pessoas.

Por isso, os debates científicos focam nesta inteligência artificial especial, que pode mudar totalmente a forma de ver e entender o mundo. Segundo o Gartner, o desafio para a IA nos próximos 10 anos será baseado em como as empresas conseguirão padronizar o desenvolvimento desta tecnologia, para que seja usada de forma ética e segura.

Quais são os principais representantes da IA

Watson da IBM 

O supercomputador da IBM, o Watson, combina inteligência artificial (AI) e software analítico sofisticado para obter um desempenho ideal como uma máquina de “resposta a perguntas”. 

O Watson processa a uma taxa de 80 teraflops (trilhões de operações de ponto flutuante por segundo). Para superar um ser humano com alta capacidade de responder a perguntas, o Watson acessa 90 servidores com um armazenamento de dados combinado de mais de 200 milhões de páginas de informações, que ele processa contra 6 milhões de ristas pensam que esta superinteligência será muito mais abrangente. Ela poderá ser um pouco superegras lógicas.

Os aplicativos para a tecnologia de computação cognitiva subjacente do Watson são quase infinitos. Como o dispositivo pode realizar mineração de dados em texto e análises complexas em grandes volumes de dados não estruturados, ele pode oferecer suporte a um mecanismo de pesquisa ou sistema especialista com recursos muito superiores aos existentes.

LUIS da Microsoft

LUIS (Language Understanding Intelligent Service) é um serviço que fornece inteligência cognitiva de compreensão de linguagem para bots ou qualquer outro aplicativo.

Ele usa o poder do aprendizado de máquina para resolver o difícil problema de extrair significado de entrada de linguagem natural. Qualquer aplicativo cliente que converse com usuários, como um sistema de diálogo ou um chatbot, pode passar a entrada do usuário para um aplicativo LUIS e receber resultados que fornecem compreensão de linguagem natural.

LUIS é um serviço desenvolvido pela Microsoft que possui algoritmos para entender a linguagem humana e criar intenções que podem ser usadas para executar comandos/trechos de código específicos no aplicativo do cliente.

Usos e aplicações da IA

As aplicações de inteligência artificial já se tornaram tão comuns no dia a dia que muitas vezes nos passam despercebidas. Veja 3 das inúmeras aplicações e usos possíveis, que empresas em todo o mundo estão utilizando para otimizar seus processos e obter receitas e lucros maiores.

1. Chatbots

Estamos na era dos chatbots acionados por inteligência artificial. Os bots estão fornecendo análises inteligentes e flexíveis através de conversas em dispositivos móveis usando ferramentas de mensagens padrão e interfaces ativadas por voz. 

Isso reduz drasticamente o tempo de coleta de dados para todos os usuários de negócios. Com isso, acelera o ritmo dos negócios e otimiza a maneira como os analistas usam seu tempo, preparando as empresas para as crescentes necessidades de dados em breve.

2. Comércio Eletrônico

A inteligência artificial oferece uma vantagem competitiva para negócios de e-commerce e está se tornando disponível para empresas de qualquer tamanho ou orçamento. Aproveitando o aprendizado de máquina, o software IA automaticamente marca, organiza e pesquisa visualmente o conteúdo, permitindo que os usuários descubram produtos que desejam.

3. Cibersegurança inteligente

Em relação à segurança cibernética, a inteligência artificial está fazendo avanços. Embora nem sempre possa resolver todos os problemas com eficácia, ela funciona com sucesso na proteção de dados. E permite que as empresas detectem vulnerabilidades ou comportamento anômalo do usuário em aplicativos de negócios como ERP ou sistemas financeiros.

Você está pensando em investir em inteligência artificial para seu negócio?  Conheça a plataforma de comunicação PEOPLE e descubra as vantagens para sua empresa.

Por Thamara Araujo

21 dezembro 2020 - 15:13 | Atualizado em 21 dezembro 2020 - 16:24

Recomendadas para você

apis para chatbots

APIs para chatbots: o que são e como funcionam?

03 agosto 2021 - 09:00
Reinforcement Learning

Reinforcement Learning: o que é e como pode ser aplicado?

05 outubro 2021 - 09:00
atendimento automatizado

Como implementar um atendimento automatizado na minha empresa

19 novembro 2020 - 15:56

Quer revolucionar o atendimento da sua empresa?
Fale com um dos nossos especialistas!

Nosso time é altamente qualificado e está sempre disposto a apresentar nossa solução e tirar dúvidas.